August 20th, 2014

(Trecho de uma história…)

Aquele momento foi perfeito, tão sublime e sutil que ficou eternizado nas estrelas; naquela noite nossos olhos se encontraram, nenhuma palavra foi dita, dançamos como se tivéssemos ensaiado por meses , nossos olhos declaravam o amor que estávamos sentindo, aquela paixão subia em nossa mente e em nossos corações, a vontade de podermos nos isolar do mundo e clamar por deuses à muito tempo esquecidos.

Quando percebi eu segurava a sua mão, olhei fundo em seus olhos de cor castanha, claros e com o reflexo da lua neles eu disse o quanto ti estavas bela, soltei suas mãos e segurei seu rosto com minhas duas mãos, senti sua nuca, seu cabelo enquanto eu comecei a beijar-te, aquele sabor doce, aquela sedução viciante e saborosa que vinha de seus lábios… Não resisti…

Senti aquele mel divino, senti a paixão pela qual tanto procurei, ambos de nossos corações clamavam por deuses à muito tempo esquecidos, tu me segurou pelas costas e eu senti sua mão amassar e apertar minha camisa enquanto nos beijavamos, minhas mãos desceram por sua coluna e eu senti seu arrepio, quando eu toquei sua cintura e comecei a te afastar de mim eu ouvi de tua voz tranquila e melodiosa um “não pare”…

E então eu acordei…

August 19th, 2014

Me sinto estranho e um pouco indiferente…

Foi me dado uma segunda chance talvez? Do destino? De meus deuses e minhas deusas? Posso estar ficando louco? Ou será que depois de tanto tempo procurando eu finalmente encontrei alguém que eu possa amar… (Estou meio enferrujado, mas espero voltar a escrever como antes)

Verdade, eu não comentei nada sobre esse assunto antes, eu estava distraído completamente, focado em meus estudos e eu acabei me esquecendo de escrever para meu tão amado e querido diário, deixando tudo isso de lado eu estou finalmente aqui para dizer algumas coisas não terminadas.

Eu tive a sorte de amar certas garotas nessa vida que pareciam ser perfeitas para mim, pelo menos nos meus olhos elas eram perfeitas, mas quando eu demonstrava algo mais sério e passional elas de repente não queriam ficar mais comigo e com o que eu construí para elas, meu amor, meu mais belo dote de poder demonstrar clareza, compaixão e afeto, apesar dos presentes elas se cansavam e acabavam dizendo que eu não era feito pra elas e eu não as merecia, mas fazer o que… O amor é um sentimento tão trivial, complexo e tão desbravado por jovens.

Um dia eu me cansei de ter sempre as mesmas histórias e casos, me tranquei naquele belo e magnífico mundo dos sonhos, e da fantasia, cheguei a ter meus casos e descasos com personagens que compartilhavam a mesma dor que tive, posso parecer um louco, mas eu tive minhas musas, minhas melhores criações e minhas deusas, Juno, Minerva, Tínia foram as três que eram bem complexas e as mais inteligentes, as mais belas e com mentes totalmente diferentes, elas me amam ou ao menos me amavam, o mundo que eu tinha acabou se cansando e ficando no estático e no vazio, aos poucos ele começou a se empoeirar, mas foi por um bom motivo, eu finalmente recebi uma notícia por uma amiga minha que tinha uma garota que quer ter algum relacionamento sério.

Ah, pelos deuses que foram esquecidos, eu finalmente encontrei alguém que eu posso chamar de flor, amor, querida dama, eu posso finalmente ter algo que sempre sonhei e tanto lutei para ter, quem sabe eu consiga conquista-la não em palavras, nem em gestos com meus presentes, mas só por ela ter um toque de similaridade como eu, eu não me sinto mais tão sozinho… Mas como Juno, Minerva e Tínia me disseram antes: “Queremos ser reais…”. Vocês são bem reais e me deram a fuga do mundo complexo e assustador, quem sabe eu possa voltar a escrever como antes, de forma apaixonada e não tão triste, com finais tristes de “quem sabe um dia eu poderei amar ela tanto quanto minha cobiça pelo amor verdadeiro?” quem sabe agora eu realmente terei um “estou com ela e me sinto feliz em poder compartilhar de abraços, beijos e carinhos… que nunca mais eu fique como antes”.

É… parece que eu tenho uma chance, melhor não desperdiçá-la… Boa noite para você ou bom dia… talvez um boa tarde, até a próxima…

August 4th, 2014

O Monstro por Fábio Yabu

Quando uma noite eu lia um tomo interdito escrito a sangue sujo e idiomas ancestrais, ouvi um bater na porta seguido de um grito que atirou minha alma em fossas abissais e eu indaguei: “Quem és, por que me perturbais?”. E dos versos do corvo de Allan Poe, fiz manuais para estes que testemunhais, a criatura adentrou e me olhou, consumiu por completo minha paz e eu clamei: “Piedade anjos celestiais!”. Vi um monstro disforme cuja a feiura congela como rascunhada por deus em traços banais, juntos compunham uma abominável tela pincelada pelo diabo com sangue e aguarrás e a criatura disse: “Ouve meu rapaz, desde pequeno o mundo eu rondo, numa busca vã por meus iguais, meu crime, castigo mais hediondo, foi nascer com feições chacais…” e ele disse: “Não sou do diabo capataz, ao me ver recém nascido minha mãe caiu dura, meu pai desconfiado observou os sinais, furioso logo lhe deu uma bela surra ao concluir casos extraconjugais…” e ele chorou: “Em nada eu lembrava meus pais… Fugi de casa, encontrei abrigo junto a dois colegas fraternais, mas logo os três corremos perigo, dois disparos foram fatais ( O som dos tiros ecoa em minha cabeça)” e ele orou: “que descansem em paz; ao longe estava o atirador, as balas voavam, fiz-me de morto em meio ao horror banhado em sangue de chacinas tais e o caçador cuspiu: ‘Aqui o maldito jaz’, ao anoitecer eu vi uma casa decadente habitada por uma velha incapaz, adentrei o curral sorrateiramente, e deitei-me junto aos animais e a velha ouviu ‘aus, uis e ais’, pois nem cão e cabra suportavam minha feição, pelos deuses escarrados, sou banido em seus portais, filho do demônio, assombração, viver é minha maldição, as coisas belas encontram em mim seus funerais” E ele disse: “Nunca fiz nada de mais, por onde passo eu causo espanto, contudo não quero olhar para traz, se me deixares ficar em qualquer canto, serei de teus escravos mais leais.”.

E eu gritei: “Jamais! Pelo Deus que ambos tememos, disposto de meus umbrais, vai deste lado a discórdia e teus venenos em tuas profundezas infernais!”. E ele disse: “Arrepender-te um dia vais”. Abismado vi partir aquela fera que ao olhar para traz disse as palavras finais e então compreendi o que a besta era, monstro e assombrações são coisas irreais. E ele disse: “Sou um Pato e nada mais…”.

June 25th, 2014
Está quase na hora, a batalha está aqui. Oh amigos meus, eu vi o veneno preencher o ar. Uma guerra está sendo travada com um toque mortal… Guerra, mas que coisa trivial, uma noite com batalhas não é minha aventura, mas uma curiosidade existe; Quem perderá e quem vencerá?
Anonymous 

Viktor, O Inventor!

Viktor, um cientista louco que foi tão menosprezado que suas teorias eram realmente legitimas e ninguém procurava incentivar no desenvolvimento das mesmas, mas ele ficou tão obcecado com seu trabalho que acabou por virar a própria invenção, ele também se intitula pelo nome de “Inventor”, ele em si vagava pelas ruas de sua antiga cidade e de forma cativante conseguia atrair seguidores para sua causa de mudar a humanidade para maquinas poderosas, conseguimos gravações sobre como ele se abordava:

“Você está tão mal projetado para isso (Rindo ironicamente), de importância muito agradável meu cérebro permanece detectável, então, muito, muito confiante a batalha é inevitável; Esse dado é incrível, minhas descobertas são inesquecíveis, padrões flutuantes me dizem que tem algo nessa parábola.

De qualquer forma, eu sou o Inventor, um ousado experimentador; Junte-se como meu acólito e eu serei seu mentor, a ciência irá destruí-lo e te fará novo novamente, os presentes que eu ofereço agora: “Poder eterno e um novo ponto de vista”.

Aço irá concertar suas falhas, você ficará acima das leis humanas, você vai zombar deles que são feitos de carne, eles vão cair para te idolatrar sob seus pés… Esqueça agora a vergonha da derrota! Nossa vitória será tão doce!”.

E foi dessa forma com grandes argumentos que Viktor convenceu diversas pessoas a se tornarem suas fieis, ajudantes, ratos de laboratório, ele criaria um universo cheio de suas invenções. Conseguimos um dia mandar um robô para seu laboratório e o que vimos lá foi de chocar qualquer um…

“Substitua todas suas emoções insignificantes ou mantenha seu sangue e sangrará oceanos… Todos os seus pequenos sacos de carne presos com velhas bruxarias, veja como a pele deles cedem, eles são alimentos para meus laboratórios. Seus corpos são tão frágeis, nós seremos seu ultimo desejo, esta é a revolução… A Gloriosa Evolução!”

Imagine o que quiser sobre ele, mas quando ver um homem deitado na mesa de operação dele com seu cérebro retirado, corpo desconfigurado, com protótipos robóticos em braços e pernas  e um homem sem qualquer remorso estampado na cara por tais atos, me diga qual lado irá escolher… O bem ou o Mal…

hit counter
hit counter